Mães são chatinhas

Eu faço arte, faz parte.
Deixo comida no prato
e Ela insiste que preciso me alimentar,
que saco vazio em pé não consegue parar.
Bagunço o meu quarto
e digo que mais tarde vou arrumar,
quando volto já está tudo em seu devido lugar.
Saio sem levar casaco
e Ela, preocupada, já começar a falar:
a gripe vai te pegar!

Eu molho o chão do banheiro
na hora do meu banho
e Ela diz que tem o sonho
de um dia, em seguida, eu secar.
Eu esqueço de deixar com o porteiro
a chave de casa pra Ela entrar
e sentada na portaria Ela fica a me esperar,
mas depois fica horas no meu ouvido a reclamar.
A minha TV dorme ligada,
e a porta do meu quarto escancarada
ecoando pela casa uma tremenda barulhada,
mas no dia seguinte ela acorda,
misteriosamente, desligada.
No meio da madrugada, a geladeira,
eu gosto de assaltar
e os meus rastros pela cozinha costumo deixar,
pela manhã, claro, Ela vai limpar.
Eu tenho mania de escutar
o som no último volume,
fazer o quê, eu tenho esse costume.
Tenho dificuldade para de manhã cedo acordar,
mas Ela sempre vai me chamar.
Ela é o melhor despertador que conseguiram inventar.
Me penduro no telefone horas a fio
e Ela fica reclamando:
olha a conta, desliga isso meu filho,
deixa pra conversar pessoalmente,
os seus amigos já conhecem
a sua vida de trás pra frente.


Quando saio sempre esqueço
o ar condicionado ligado,
o "castelo" iluminado,
o portão destrancado,
o PC conectado
e as janelas escancaradas,
daí cai uma chuva danada
e Ela que é tão chatinha
repete todos os dias a mesma ladainha:
com você não posso contar,
vive com a cabeça fora do lugar!


Quando vou pra night ou vou viajar
Ela reza sem parar,
pede a todos os santos pra me acompanhar.
Acho que Ela pensa que eu ainda sou
uma indefesa criancinha,
mas eu entendo, coitadinha.
Me explicaram que para as mães
os filhos nunca vão crescer,
muito menos amadurecer
e responsabilidade jamais vão ter
por mais que eles provem
que isso pode acontecer.

Mãe é uma criatura engraçada,
parece que vive mal humorada,
mas a grande verdade é que Elas vivem
as vinte e quatros horas do dia ligadas
nos passos da filharada.
Tudo bem, a minha mãe é chatinha,
repetitiva e cricrizinha
mas, por sorte, é minha!
E que ninguém ouse falar dela
por que eu viro uma fera.
Uma coisa eu preciso admitir,
quando eu saio ou vou dormir
Ela me diz de um jeito
que tem um delicioso sabor:
vai com Deus meu amor!

"Feliz dia das mães para essas mulheres "chatinhas" que são anjos da guarda
na vida de seus filhos amados."


Silvana Duboc