Maravilhas chinesas - II

O legado cultural que a China nos tem dado é de fundamental importância para o crescimento da humanidade. Entre os personagens cujos ensinamentos atravessaram milênios está Confúcio – (551-479 a.C.),
que reorganizou os textos clássicos chineses (como o popular I Ching)
e lhe deu redação definitiva.
Para combater a corrupção e a miséria de sua época, ele criou uma série de preceitos éticos e morais, como o culto dos ancestrais, os princípios de sinceridade, reciprocidade, e a idéia de que só pode governar quem é capaz de promover o bem-estar do povo.
A seguir, alguns de seus ensinamentos:

A fórmula da família

O duque Ding perguntou a Confúcio:
- Existe alguma fórmula que garanta a prosperidade de uma família?"
- Não existe uma fórmula completa - disse Confúcio.
Mas existe um ditado: é difícil ser governante e não é fácil ser um governado. Se os chefes da família e seus filhos entenderem que ambas as partes precisam ceder, a prosperidade chega.
O duque continuou: - E existe alguma fórmula capaz
de destruir o seio de uma família?
- Não existe uma fórmula completa - disse Confúcio.
Mas existe um ditado: o maior prazer de um rei é nunca ter alguém lhe proibindo de fazer as coisas. Se não somos proibidos de fazer o bem, isto é bom. Entretanto, numa família onde a mãe não tem coragem de contestar o filho, as relações terminam frágeis, e são destruídas.

Um mestre e duas respostas

Zilu perguntou: - Quando devo colocar em prática as coisas que aprendi?
Confúcio respondeu: - Ainda estou lhe ensinando. Por que esta impaciência de colocar algo em prática? Espere a hora certa.
No momento seguinte, Gongchi perguntou: - Quando devo colocar em prática as coisa que aprendi?"
- Imediatamente - respondeu Confúcio.
- Mestre, o senhor não age com justiça - reclamou Zilu.
Gongchi sabe tanto quanto eu, e o senhor não o proibiu de agir.
- Um bom pai conhece a essência de seus filhos - disse Confúcio.
Ele freia aquele que é ousado demais, e empurra o que não sabe
andar com as próprias pernas.

Pensando em cada coisa na sua hora

Zilu quis saber de Confúcio como servir bem a Deus.
- Voce não sabe servir aos homens, como quer servir a Deus? - respondeu o mestre. Aprenda a ajudar seu semelhante, e Deus ficará contente.
- Mas tenho medo de morrer e enfrentar o julgamento divino.
Ainda não entendo direito a morte.
- Você ainda não compreendeu a vida, como quer compreender a morte? - disse Confúcio. Aprenda a aproveitar seus dias, e o julgamento será favorável.

Reflexões de Confúcio

O perigo surge quando o homem sente-se seguro de sua posição.
A ruína ameaça todo aquele que tenta preservar um estado de coisas.
A confusão aparece quando colocamos tudo em ordem.
O homem superior não esquece o perigo quando está em segurança.
O sábio não esquece o fantasma da ruína quando está estabelecido.
O inteligente não esquece a confusão quando os negócios estão em ordem.
Só assim, ele pode manter a sua segurança pessoal
e proteger seu reino.