Mentiu! Mentiu!

Foi e não voltou
mas antes disso jurou,
ah... como jurou
que jamais partiria
que comigo pra sempre estaria.
Foi e sequer se despediu.
Mentiu! Mentiu!
E como já foi mesmo embora
saia também do meu coração agora.
Isso é uma ordem, uma intimação.
Cate os destroços que deixou,
as ilusões que em mim criou,
as mentiras que me contou.
Cate a sua cara de pau
e seu instinto tão mau,
devolva meus afagos e carinhos,
você não é merecedor de nem um pouquinho
da minha dedicação,
muito menos da minha paixão.
Vá pra longe de mim
e carregue essa lembrança ruim
que plantou na minha vida.
Vá que as minhas feridas
eu sei como cicatrizar.
Rapidamente outro amor vou procurar!

Silvana Duboc