Meu licor de amoras bravas

Tu foste o meu licor de amoras bravas,
Que bebi nos teus lábios com prazer,
Nas noites de delírios que me davas,
Em taças, no teu corpo de mulher!

Bebi em noites calmas, madrugadas,
Como um rio sequioso de água pura,
E no leito de roupas perfumadas,
Me desfiz em cascatas de ternura!

Nos lábios guardo o gosto do licor,
Nos sentidos um mar de sensações
Vibrantes que despertam o calor,
Emanado das tuas vibrações!

De amoras, agora tinjo os dedos,
Recordando os teus seios intumescidos,
De mamilos ungidos de segredos,
Que me presenteavas... atrevidos!

Agora sem licor me embriago,
Em taças transbordantes de poesia,
Tentando no meu peito ver se apago,
As loucuras da minha fantasia!!!


Fernando dos Santos