Meu sincero obrigada

Para os caras que sumiram da minha vida, meu sincero "obrigada"!

Tem sempre aquele cara que te faz bem, coloca um sorriso no seu rosto, te revira estômago e roupas de cama, mas que apesar da delicia da convivência, entra na sua vida e não fica. Bem, não culpe o moço, não faça vodu e tampouco jogue tinta no carro dele. Guarde essa mágoa novinha em folha
no bolso e leve consigo para olhar mais tarde, antes de dormir e para tentar aprender algo sobre si com ela.

É, eu to começando a acreditar que é justamente para isso que a gente
vive quebrando a cara com o amor, para aprender a lidar
com nós mesmos, para descobrir aqueles detalhezinhos que
deixamos escapar numa primeira auto leitura.

Parece que nada ensina tanto quanto decepção não é mesmo!? 
Bem, em se tratando de coração, acho que não é diferente. Afinal, a gente
se conhece melhor quando tem que voltar os olhos para o lado de dentro, tentando catar alguma força para continuar de pé, olhando para a próxima quebrada de esquina da vida, torcendo que venha algo melhor nela.

Conheça os segredos do prazer feminino e tenha muito mais prazer...

Portanto, se ele sumir e te largar sozinha no metrô, em pleno sábado de sol, ok. Desça na próxima estação e descubra uma nova rota. Ele cumpriu o papel exato que tinha para sua vida. Foi coadjuvante, ganhou até roteiro,
eu sei, mas o palco estava reservado, de verdade, apenas para o protagonista.  Melhor assim: que ele tenha entrado em cena e voltado rapidinho para a coxia, sem tentar roubar um ato que não era dele.

Porque ruim mesmo é gastar tempo numa estrada que não te leva a lugar algum. É investir suor e saliva numa relação que foi feita para acabar, mas que você insiste em fazer dar certo, por pura teimosia. Bom é saber que
as portas do futuro estão abertas e que você pode recomeçar, com muito mais experiência e até alguma sabedoria.

Então, eu agora lido assim: para os caras que entraram na minha rotina, só para em seguida evaporar dela, feito poça d´água em calor de quarenta graus, obrigada. Obrigada por terem me aberto os olhos sobre o quanto não éramos um para o outro, por me ajudarem a enxergar o quero eu quero dessa vida e como eu a quero. Obrigada pelos beijos, pelo prazer, pelas conversas boas, pela risada, pelas cervejas divididas e por terem ficado, ao meu lado, exatamente até onde deveriam, por não terem sido honestos e claros,
mas por terem me falado muito mais com o silencio.

Vocês sumiram na hora certa, pararam de enviar mensagens no momento exato, me deixaram remando o barco sozinha, exatamente do jeitinho que deveriam ter feito. E eu nem estou falando apenas dos babacas.
To falando de você também. Você que foi legal, inteligente, educado
e deu elegantemente no pé, só para espalhar charme em outra freguesia. Obrigada de coração. 
Você me ensinou muito.
E eu aprendi mais sobre mim do que sobre você.