Minha insônia

A noite o sono não vem
nem depois que eu digo amém
e eu só penso em alguém
que hoje não é mais ninguém.
Rolo na cama sem parar,
do lado direito não dá pra me acomodar,
do lado esquerdo não consigo ficar
e para o teto insisto em olhar.
Faz frio, faz calor
e eu só penso naquele amor.
Isso tudo é uma maldade
que meu coração enfrenta,
isso se chama saudade
e toda noite me desorienta.

Se chove ou se o céu está estrelado
nenhuma diferença faz,
meu estado é sempre delicado
pois eu não encontro a paz.

Minha insônia tem um nome,
tem um corpo e um coração
mas seu nome não revelo
pois já se tornou algo em vão.

Silvana Duboc