Minha paixão

É leve como a pena,
se faz de pequena,
é plena, é delicada,
é como noite enluarada,
é serena, é comportada.
É grande mas, em qualquer lugar,
consegue se encaixar.
Não consigo explicar
que proporções ela pode tomar
quando resolve se revelar.
É indisciplinada,
infantil e agitada,
meio amiga, meio namorada,
completamente dedicada.
É discreta, preservada,
é inquieta e declarada.
É um pingo num i
e anda por aqui
desfilando em forma de poesia
fingindo que não passa de fantasia.
É um ponto de exclamação
que vive dentro do meu coração.
É desse jeito a minha paixão,
sem rédeas, sem solução,
sem limites, sem conjugação.

Silvana Duboc