Minha Senhora,
minha Rainha, minha Mãe!

Ah! Doce Rainha dos Anjos...
Senhora do amor, consolo dos aflitos,
Fonte de luz!
Essência mais pura do perdão.
Eleva tuas mãos sobre a humanidade...
Perdoa os incrédulos;
Cicatriza as feridas do ressentimento;
Torne os corações amargurados, doces;
Leve a esperança aos desesperados;
Mostre a luz aos perdidos;
Una as famílias e proteja os lares da separação.
Afastai-nos de toda a tentação!
Coloque no coração do avarento - a caridade;
No coração do traidor - o remorso;
Dos jovens, a pureza, dos anciãos - o consolo.
Faz com que o homem use as palavras para o entendimento;
Os poetas façam da poesia instrumento de união, fraternidade e amor;
Que a terra não seja dividida entre poucos e possa acolher a todos...
Que a mesa seja farta em todos os lares;
Que a paz reine entre as nações;
Que o mal não prospere!
Que o homem respeite o mar, a natureza, o ar;
Que a liberdade dos pássaros seja constante;
Faça, senhora, com que minhas mãos possam servir sempre!
Que a mão que dá, não cobre;
Que meu coração esteja sempre pronto ao entendimento;
Que faça do perdão, meu instrumento!
Que meus braços possam acolher
a todo irmão em busca do calor humano.
Dai-me, senhora, forças para aceitar minhas dores!
E aquelas que não puderem ser retiradas,
que eu possa vencê-las.
Amém!

Paulo Nunes Junior