Na avenida da vida

Faça silêncio,
entre devagar,
dê passos leves
pra ninguém notar.
Finja que aqui não está.
Dentro de mim vou lhe guardar
tão bem escondido
que não vão reparar.
Você, na minha vida,
é mais um tesouro
que vale ouro.
Os outros que eu tive
perderam-se por aí
e me deixaram aqui.
Não faça ruídos,
aquiete-se dentro de mim.
Não espalharei avisos,
é melhor que seja assim.
Sonhos precisam ser guardados,
para que não sejam invejados.
Alguém pode invejar por maldade
ou por mediocridade.
Alguém pode invejar por infelicidade
ou por ingenuidade.
Por isso, não faça estardalhaço,
eu sigo seus passos
e você segue os meus.
Juntos veremos até onde
você vai me levar
e se eu consigo o acompanhar.
Caso você não possa se realizar
morre dentro de mim
sem ninguém saber.
E se você acontecer
eu prometo deixá-lo desfilar
na avenida da minha vida.
Muitos nos aplaudirão
e alguns as costas nos darão.
Na avenida da vida
é assim que acontece,
uns nos aplaudem,
enquanto outros,
acham que a gente não merece.

Silvana Duboc