Não se esqueça de mim

Não que eu não soubesse,
eu bem que sabia
que você apenas me via
como uma simples companhia
mas eu fui bem mais
e você não percebia.

Eu fui seu cobertor nas noites frias,
seu ventilador nas tardes quentes,
a água que você bebia,
o sorvete que você lambia docemente.

Eu fui o remédio pra lhe curar
quando dores vinham lhe atacar
e o colírio para as suas vistas clarear.

Eu fui seu abrigo na hora do furacão
e a sua luz em plena escuridão.

Fui a rede pra você se deitar
quando precisava descansar,
fui a onda do seu mar
que jamais quis lhe afogar,
apenas lhe embalar.

Eu fui a ponte pra você atravessar
quando o rio resolveu transbordar
e a cigarra que na sua janela
amanhecia a cantar.

Eu fui sua lua em noite de céu estrelado
e o seu sol em dia nublado.

Eu fui pequenina na palma da sua mão
e grande menina no seu coração.

Eu fui a mulher que lhe deu atenção,
que lhe amou em profusão,
eu fui aquela que lhe estendeu sua mão.

...mas eu sabia
que apesar de ser tudo isso,
todo santo dia,
pra você eu nunca passei
de uma simples companhia.

... mas onde você estiver
não se esqueça de mim
porque comigo será sempre assim.

Silvana Duboc