No silêncio...

À noite, no silêncio do meu refúgio,
ando com uma sensação estranha...
não sei dizer ao certo, mas a alma está inquieta, resiliente...
À espera do que poderá vir ao meu encontro ,
mas procurando não pensar muito...
Apenas acreditando que vale a pena amar de verdade,
pois independente do que ainda está por vir neste inverno,
trago comigo a certeza da primavera, junto com você...”

Lu Sanches