O assessor

Um homem anda por uma estrada próxima a uma cidade, quando percebe, à pouca distância, um balão voando baixo.
O balonista lhe acena desesperadamente, consegue fazer o balão baixar o máximo possível e lhe grita: - Ei você, poderia ajudar-me? Prometi a um amigo que me encontraria com ele às duas da tarde, porém já são duas e meia e nem sei onde estou. Poderia me dizer onde me encontro?
O outro homem, com muita cortesia, respondeu:
- Mas claro que posso ajudá-lo! Você se encontra em um balão de ar quente, flutuando a uns vinte metros acima da estrada. Está a quarenta graus de latitude norte e a cinqüenta e oito graus de longitude oeste.
O balonista escuta com atenção e depois pergunta-lhe com um sorriso: - Amigo, você trabalha como assessor?
- Sim, senhor, ao seu dispor! Como conseguiu adivinhar?
- Porque tudo o que você me disse está perfeito e tecnicamente correto, porém esta informação me é totalmente inútil, pois continuo perdido.
Será que você não tem uma resposta mais satisfatória?
O assessor fica calado por alguns segundos e finalmente pergunta ao balonista:
- E você, não seria por acaso um petista?
- Sim, sou realmente filiado ao PT. Como descobriu?
- Ah! Foi muito fácil! Veja só: Você não sabe onde está e nem para onde vai. Fez uma promessa da qual não tem a mínima
idéia de como irá cumprir e ainda por cima espera que outra pessoa resolva o seu problema. Continua exatamente tão perdido quanto antes de me perguntar. Porém, agora, por
um estranho motivo, a culpa passou a ser minha...