O destino que eu escolhi

Sabe aquele destino,
que do outro lado da vida eu escolhi,
pra pagar meus antigos pecados aqui?
Me arrependi.
Sabe quando você me perguntou
qual seria o tipo de dor
que eu conseguiria suportar
e, ao mesmo tempo,
minha dívidas resgatar?
Eu lembro que respondi:
Deixa só meu coração doer
porque as dores físicas
acho que não vou merecer.
Sabe, me arrependi de verdade
dói mais a dor de uma saudade
que lateja dentro do coração
do que a de um membro esmagado
por um trem ou uma demolição.
Sabe, eu fui infeliz na hora de escolher.
Agora é esperar morrer
e depois, se ainda for preciso, voltar.
Mas, aí, com meu coração resguardado
sem ter como alguém violar.

Silvana Duboc