O presente vivendo do passado

Apesar de tudo que eu já te falei
a vida é curta, eu bem sei,
pra dizer o que ainda está faltando.
Ainda tenho palavras, frases, poesias
que ficam me rondando,
querendo escapulir de mim
e eu me segurando.
Acho que terei que viver assim,
diante de ti, me economizando.
Meu sentimento parece não me deter
por isso não consigo me conter.
Sou uma melodia inacabada,
uma oração não completada,
uma obra interrompida,
uma idéia desmedida.
Sou um jardim que ainda não foi plantado,
sou um verbo que ainda não foi conjugado,
sou um terreno que ainda está desabitado,
sou um livro que ainda não foi editado,
sou o presente vivendo do passado.

Silvana Duboc