O que faz bem à saúde

Cada semana, uma novidade. A última foi que pizza previne
câncer do esôfago. Acho a maior graça!
Tomate previne isso, cebola previne aquilo, chocolate faz bem, chocolate faz mal, um cálice diário de vinho não tem problema, qualquer gole de álcool é nocivo, tome água em abundância,
mas peraí, não exagere...
Diante dessa profusão de descobertas,
acho mais seguro não mudar de hábitos.
Sei direitinho o que faz bem e o que faz mal pra minha saúde.
Prazer faz muito bem. Dormir me deixa 0 km.
Ler um bom livro faz-me sentir novo me folha.
Viajar me deixa tenso antes de embarcar,
mas depois eu rejuvenesço uns cinco anos.
Viagens aéreas não me incham as pernas,
me incham o cérebro, volto cheio de idéias.
Brigar me provoca arritmia cardíaca.
Ver pessoas tendo acessos de estupidez
me embrulha o estômago.
Testemunhar gente jogando lata de cerveja pela janela do
carro me faz perder toda a fé no ser humano.
Essa história de que sexo faz bem pra pele acho
que é conversa, mas mal tenho certeza
de que não faz, então, pode-se abusar.
Caminhar faz bem, dançar faz bem, ficar em silêncio quando
uma discussão está pegando fogo faz muito bem:
você exercita o autocontrole e ainda acorda no outro dia
sem se sentir arrependido de nada.
Acordar de manhã arrependido do que disse ou do que
fez ontem à noite é prejudicial à saúde. E passar o resto do dia
sem coragem para pedir desculpas, pior ainda.
Não pedir perdão pelas nossas mancadas dá câncer,
não há tomate ou mussarela que previna.
Cinema é melhor pra saúde do que pipoca.
Beijar é melhor do que fumar.
Exercício é melhor do que cirurgia.
Humor é melhor do que rancor.
Amigos são melhores do que gente influente.
Economia é melhor do que dívida.
Pergunta é melhor do que dúvida.
Tomo pouca água, bebo mais que um cálice de vinho
por dia, faz dois meses que não piso na academia,
mas tenho dormido bem, trabalhado bastante, encontrado
meus amigos, ido ao cinema e confiado que tudo isso
pode me levar a uma idade avançada.
Sonhar é melhor do que nada...

Martha Medeiros