O sonho

O sonho não acabou,
sequer ele começou
mas no corpo penetrou
e no coração repousou.

O sonho não teve princípio,
também não teve fim
mas mesmo assim
embarcou na fantasia
e foi sonhado noite e dia.

O sonho ficou pela metade
mas, na verdade,
não foi sonho nem realidade,
não foi concreto
e também não foi discreto.

O sonho subiu num palco
depois voou tão alto
que quando em terra caiu
estranhamente sumiu.

O sonho se tinha luz, apagou,
se era molhado, secou
se era um feitiço, desencantou.

Silvana Duboc