O tempo do amor

Hoje vou deixar a porta aberta.
Não quero trancas entre nós. Hoje eu vou esperar por você.
Vou ignorar a previsão da mulher do tempo, na qual ela afirmou que ele não estaria para o amor e vou simplesmente acreditar em nós.
Vou vestir meu sorriso mais bonito e vou te dar de presente
meu abraço mais carinhoso.
Vou dizer pra mim mesma que o relógio não sabe o que diz quando cisma em emperrar os ponteiros atrasando a sua chegada.
E quando você chegar, não faça cerimônia. Peço apenas que tire os sapatos ao adentrar meu coração. Peço apenas que deixe lá fora todas as tristezas e asperezas da vida, que deixe lá fora as memórias do que não deu certo e traga na mala o seu semblante mais bonito, suas vontades mais sinceras e o seu amor mais desejoso.
Quando entrar acende todas as luzes e me faz lembrar que a escuridão guarda a luz de um amanhã possível.
Quando entrar entende que no silêncio da noite eu estou
enrolando as horas a esperar por você.
Então vem e deita ao meu lado, me conta todas as suas mais lindas histórias. Vem e me diz de você, de tudo que guardou em segredo
do mundo. Vem e se revela em mim, me sorri carinhoso, me acolhe em seus braços e me aquece com a ternura dos beijos seus.
Divide comigo os seus sonhos e me faz sonhar a vida ao lado seu.
Mas não demora amor, não demora que hoje eu quero você aqui. Quero você inteiro, quero nossos corpos juntos
e nossas cabeças no mesmo travesseiro.
Quero dizer ao mundo que a mulher do tempo é uma falácia,
que ela nada entende do tempo que pulsa nos corações,
que ela não sabe do arco-íris que nasce quando a gente
se toca e acredita, contrariando tudo que nos dizem,
que o tempo está sim para o amor.

Vanelli Doratioto