Padres do deserto

Sabedoria

No início da era cristã, um grupo de eremitas vivia
em em torno do Mosteiro de Sceta, no Egito.
Várias histórias atribuídas a estes monges foram coletadas
no livro “Verba Seniorum”.

Pratique o que aprendeu

Um eremita aproximou-se do Abade Teodoro:
- Sei exatamente qual o objetivo da vida.
Sei o que Deus pede ao homem, e conheço a melhor maneira de servi-Lo, mas, mesmo assim, sou incapaz de fazer tudo que devia.
O abade Teodoro ficou um longo tempo em silêncio. Finalmente disse:
- Você sabe que existe uma cidade do outro lado do oceano. Mas ainda não encontrou o navio, não colocou sua bagagem a bordo, e não cruzou o mar. Por que ficar imaginando como ela é, e como devemos caminhar por
suas ruas? Pratique o que aprendeu, mesmo sendo pouco: e o resto do caminho se mostrará por si mesmo.

Aprendendo a escolher

Santo Antão vivia no deserto, quando se aproximou um jovem e lhe disse:
- Padre, vendi tudo que tinha e dei aos pobres. Guardei apenas ums poucas coisas para me ajudar a sobreviver aqui. Gostaria que me ensinasse o caminho da salvação.
Santo Antão pediu que o rapaz vendesse as poucas coisas que havia guardado, e - com o dinheiro - comprasse carne na cidade. Na volta, devia trazer a carne amarrada em seu corpo.
O rapaz obedeceu. Ao voltar, foi atacado por cachorros e falcões, que queriam um pedaço da carne.
- Eis-me de volta - disse o rapaz, mostrando o corpo arranhado, mordido, e as roupas em frangalhos.
Por que me mandou fazer isso?
- Para mostrar que o que trouxe do seu passado,
não serve no seu presente. Quando tiver que escolher
um novo caminho, não traga experiências velhas.
Aqueles que dão um passo novo, mas querem manter um pouco
da antiga vida, terminam dilacerados pelas próprias lembranças.

Mudando a atitude

Um abade do mosteiro de Sceta foi procurado por um jovem que queria seguir o caminho espiritual.
- Por um ano, pague uma moeda a quem lhe agredir - disse o abade.
Durante doze meses, o rapaz pagava uma moeda sempre que era agredido.
No final do ano, voltou ao abade, para saber o próximo passo.
- Vá até a cidade comprar comida para mim.
Assim que o rapaz saiu, o abade disfarçou-se de mendigo e, tomando um atalho que conhecia, foi até a porta da cidade.
Quando o rapaz se aproximou, começou a insultá-lo.
- Que bom! - comentou o rapaz com o falso mendigo. - Durante um ano inteiro tive que pagar a todos que me agrediam, e agora posso ser agredido de graça, sem gastar nada!
Ouvindo isto, o abade retirou seu disfarce.
- Quem é capaz de não se importar com que os outros dizem, é um homem que está no caminho da sabedoria. Você já não leva os insultos a sério, e portanto está pronto para o próximo passo.