Para um amor que se foi

Depois de você, a poesia fez silêncio...
depois de você, o afeto deixou saudade.
Depois de nós, não sei onde deixei o abraço,
o beijo molhado, o corpo suado, o cheiro de amor...

Fico a me procurar no meio de mim mesma
e descubro que algo adormeceu depois de você.
Mas ainda sinto de leve na pele a força do que vivemos,
a paixão com que nos amamos...

Ainda trago no corpo a sensação de ter sido amada
Na boca, o gosto da mulher que fui em seus braços!
Tento resgatar o que de quase incontrolável senti,
mas sei que cada amor é único,
para ser vivido profundamente e depois...
valer pelo que se viveu. Pois é só o que vale.

Pode até ter parecido pouco;
pode até ter sido curto,
mas foi sem regras... apenas sentimentos...

Tão fugaz quanto o prazer...
tão pessoal quanto a dor...
e tão inexplicável quanto o amor...

Rosana Braga
in: Amor – sem regras para viver