Parceria é mais que amor

Passamos pela vida cheios de exigências na hora de escolher
o parceiro/a ideal.
Talvez pensemos que sua altura tem que ser de acordo com a nossa, a idade também, a aparência tem que ser impecável, a situação financeira
no mínimo razoável e por aí vai.
Temos exigências, na verdade, abstratas pois na hora que alguém cruza nosso caminho e faz aquela luz vermelha, que significa alerta máximo, acender dentro de nós tudo vai por água abaixo.
E aí de que interessa altura, idade, aparência, situação financeira e etc?
De que interessa a vida em geral?
O que importa é viver aquela paixão ou amor.
Mas fortes paixões e devastadores amores nos cegam
e nos impedem de ver além deles.
Muito comum, por muito pouco, dizermos:
- Ele (a) é o grande amor da minha vida.
Só teremos a certeza de que alguém é o grande amor da nossa vida
muito tempo depois que ele estiver na nossa vida.
Somente quando a idade avançar, os encantos físicos se desgastarem,
a grana ficar curta para usufruir de momentos inesquecíveis, o sexo
entrar na sua decadência natural é que saberemos muitas coisas.
Todos os dias descobrimos um novo defeito ou uma nova qualidade na pessoa que está repartindo a vida conosco. As qualidades sempre são bem vidas, os defeitos podem ser suportáveis ou insuportáveis e eles têm o dom de comandar um relacionamento, porque ou os aceitamos e temos como lidar com eles ou definitivamente, não.
Um grande amor, uma alma gêmea, o par perfeito implica em parceria e parceria é muito mais, muito maior que qualquer amor.
Parceria, segundo o dicionário é - "reunião de indivíduos para a exploração de interesses em comum; sociedade; companhia."
Sabe-se que para qualquer tipo de sociedade dar certo é primordial que exista confiança, respeito, admiração, tolerância, honestidade,
dedicação e prazer na companhia.
Prazer na companhia é, talvez, o ponto mais significativo.
Não importa os anos que se passaram, os acontecimentos que o casal precisou enfrentar, as dificuldades, as possíveis decepções e desencontros, as derrotas conjuntas, as perdas, o importante é que o tempo
não destrua o prazer da companhia.
Li certa vez em algum lugar algo no mínimo interessante:
"case-se com alguém que você gosta de conversar, pois no final
de tudo é apenas isso que vai restar."
E se você encontrou alguém com quem gosta de conversar, que a companhia é a melhor do mundo mesmo que seja apenas para falarem
do dia que está chuvoso, fique de olho nessa pessoa, ela pode ser o grande amor da sua vida, mas isso você só vai saber lá na frente.
De qualquer forma aposte nela e esqueça a sua altura, a sua condição financeira, a sua idade, a sua aparência ou até mesmo a tal luz vermelha
de alerta que às vezes acende dentro de nós mas queima rapidamente... isso tudo não passa de detalhes.
O que essa pessoa precisa mesmo é ser sua eterna parceira porque só parceiros fiéis são capazes de viver e oferecer um grande amor.

Silvana Duboc