Permita

Que a fé que mora em mim
continue a me habitar.
Que a esperança retome o seu lugar.
Que meus cinco sentidos permaneçam aguçados
permitindo que o sexto não seja alterado.
Que eu possua tranquilidade,
força, empenho e coragem
para da minha rota não sair
e muito menos desistir.
Que as minhas palavras sejam ouvidas,
mas, em primeiro lugar,
que possam ser sentidas.
Que eu saiba aceitar sem nunca julgar.
Que o véu que cobre tantos corações
jamais neutralize minhas emoções.
Que eu acredite, confie, admita
e, especialmente, persista.
Que eu nunca domine nem seja dominada,
apenas siga acompanhada.
Que eu tenha paciência para esperar
o que me for designado aguardar.
Que eu saboreie minhas conquistas
sem a menor vaidade
e aceite minhas derrotas com serenidade.
Que eu seja, antes de tudo, eu mesma
com meus defeitos e qualidades
e que eu esteja sempre pronta
para enfrentar a realidade.

Silvana Duboc