Pô!

Sem peso
sem culpa
sem hora.
Agora!
Não aceito desculpas.
Tá cego?
Coloca a lupa!
Sou leve,
sou breve.
Derreto
que nem neve.
Nem sólido,
nem líquido
mais pra gasoso.
Um amor gostoso!
Sem definição de estado!
Nem somos casados.
Corpos em fusão.
Ebulição.
Confusão!
Se sais ileso?
Pagas o preço da
demora.
Teu medo?
Igual ao meu segredo.
Depois a dor?
Vale pelo sabor
da flor.
Declara o teu amor.
-Eu te adoro, pô!

Rosa Pena