Prece xamânica

Folhas caem.
O dia esfria.
A Deusa puxa o Seu manto sobre a Terra a seu redor.
Enquanto você, ó grande Sol, caminha em direção
ao oeste, para a terra do encantamento
eterno, envolto no frescor da noite.
As frutas amadurecem, as sementes caem,
as horas do dia e da noite se equilibram.
Ventos frios sopram num lamento,
nesta aparente extinção do poder da Natureza.
Ó Deusa Abençoada, eu sei que a vida continua
pois não há primavera sem a Segunda colheita,
assim como não há vida sem a morte.
Abençoado seja, ó Deus caído, enquanto viaja
para as terras do inverno e para
os braços abençoados da Deusa.
Ó graciosa Deusa da fertilidade, semeei e colhi
os frutos dos meus atos, bons ou ruins.
Conceda-me a coragem para plantar sementes boas
no ano vindouro, afastando a miséria e o ódio.
Ensina-me os segredos de uma existência sábia
neste planeta, Luminoso ser da noite!