Recordações

Eu sempre pensei
Que havia um lugar
Para os sonhos e para os amores,
Talvez no coração.
Mas, assim que os fui vivendo,
Percebi que os sonhos se desvanecem,
Os amores não.
Eles são estrelas
Que voam para o céu
Do espírito, onde permanecem
Eternamente,
Tal qual luzes escondidas,
Nas noites nebulosas,
Velados pela cortina
Das lágrimas,
Dolorosas.
Porém, quando a saudade,
Nobre senhora do tempo
E da memória,
Sorrateiramente move
Seus condões,
Eles aparecem brilhantes,
Como lucíferos diamantes,
No firmamento
Das recordações.