Rompimento impreciso

Foram tantos os detalhes que eu guardei
que sinceramente eu nem sei
como posso apagá-los
ou, da minha vida, eliminá-los.
Agora eu ando assim,
muito distante de mim.
Já não consigo me encontrar
e caminho pelos becos, ruas, avenidas,
numa pressa desmedida,
tentando de qualquer forma lhe achar.
Já não o alcanço com o meu olhar,
seu rosto se perdeu em algum lugar
entre a realidade e a virtualidade
e você se transformou numa imagem
que eu emolduro com a minha saudade.
Antes você nunca tivesse sido de verdade,
talvez assim eu tivesse coragem
de procurar um novo amor,
mas como posso fazer isso
se hoje meu coração está algemado na dor
e vive refém de um sabor
que não consigo mais sentir.
...e enquanto isso meu tempo tende a diminuir
e esse mesmo tempo me massacra
e permite eu me iludir
pensando que nada é definitivo
nem mesmo um rompimento impreciso.

Silvana Duboc