Senhor

Senhor,
Cansei-me das falsas promessas, da maldade
Cansei-me das mentiras, da falsidade
Busquei entre o desespero, a paz
Entre a esperança, a realidade
Entre os enganos, a verdade.

Senhor,
Vi secarem as flores do campo
Com o peso da ingratidão
Deixando a terra na solidão
Olhei as águas da fonte
E não era a fonte a jorrar
Era a terra entristecida
Que se punha a chorar.

Senhor,
Sonhei com o amor verdadeiro
Encontrei o falso amor
Quantas vezes eu quis amar
Zombaram da minha dor
Afoguei-me na tristeza
Enquanto o mundo vivia
A orgia do pequeno amor.

Senhor,
Dai-me a alegria de encontrar
Ao menos uma verdade fugaz
Dai-me a esperança que perdi
Fazei renascer as flores do campo
Fazei retornar as aves do céu

Senhor,
Quero ver a fonte jorrando
Com suas águas límpidas, cantando
Canções de beleza e ternura
Como se a voz da terra falando
Ensinasse a todos a alegria
De ser bom, na glória e na amargura.

Senhor,
Fazei descer à terra
Em degraus de nuvens brancas
Um amor de verdade
Mandai-nos o amor que acabou.
Colocai ao lado de todos
Um alguém para amar

Senhor,
Finda esta prece única
Que é desabafo... confissão
Vos peço, Senhor, secai o pranto dos olhos
Colocai sorrisos nos lábios
Fazei o mundo feliz...
Amém.

Emília Reis