Seu abrigo

Pra você não me esquecer
e, também, nunca dizer
que eu parti sem explicação
deixo contigo um pedaço
do meu coração,
meio avariado,
bastante desgastado.
A outra parte dele estou levando
mesmo ela estando
em estado lastimável,
mas, a questão é que é bem provável
que eu ainda queira usá-la
pra mais um pouco desgastá-la.
E quando, dela,
não restar mais nada
talvez eu volte pra reaver
a parte que resolvi lhe ceder
e pode até ser
que ela tenha se reconstituído
e dos seus braços 
queira fazer de novo seu abrigo.

Silvana Duboc