Tão dentro do meu peito

Não, eu ainda não o esqueci,
eu ainda ando por aí
fazendo das tripas coração
pra arrancar de dentro de mim
esse amor, essa paixão.
É, minha vida tem sido assim,
uma luta sem fim.
Durante o dia sorrio pra não chorar
e choro todas as noites ao deitar.
Me faço perguntas absurdas
e as respostas não consigo encontrar,
enquanto isso a saudade me consome
e me faz acreditar
que eu amei sem ser amada,
caso contrário seria procurada
para ouvir ao menos uma palavra.
Que fosse adeus e mais nada.
É, eu ainda não o esqueci,
eu ainda o tenho aqui
tão dentro do meu peito
que acho que tenho o direito
de escrever poesias falando de você,
mas ao mesmo tempo eu me pergunto:
pra quê?

Silvana Duboc