Uma única mulher

Eu vou te roubar pra mim
e vai ser assim,
de leve, de mansinho.
Farei o serviço com muito carinho.
Você nem vai perceber que foi roubado,
quando se der conta já estará ao meu lado.
Eu sou uma menina insistente,
quando quero algo sou muito competente.
Sei que existe aquela outra que lhe escreve poesias
e você acha tudo que ela diz encantador
mas, eu posso lhe dar mais alegrias
e muito, mas muito mais amor.
Cabe, agora, você avaliar
com qual das duas quer ficar.
Eu e ela somos diferentes,
ela é madura e eu adolescente.
Ela vai poder lhe ensinar muito sobre a vida,
enquanto, eu vou ter que aprender com você.
Ela já viveu muito e é sofrida
mas soube, lindamente, curar suas feridas.
Eu estou apenas começando
e, por isso, você terá que me ver sangrando.
O fato é que somente você poderá escolher
se vai preferir pisar em terra firme
ou sobre a insegurança nas nuvens viver.
A verdade é que agora você tem duas opções
e bem próximo de você batem dois corações
transbordando de amor para lhe dar.
Decida logo com qual das duas vai ficar
e, quem sabe, depois dessa escolha
que está lhe deixando tão perturbado,
confuso e atordoado
você se dê conta que eu e ela
vivemos dentro de uma única mulher,
às vezes adulta, às vezes adolescente,
mas ambas o amam alucinadamente.
Eu e ela precisamos de você,
ela vai lhe ajudar a caminhar
e você me ensina a viver.
O importante é que nós duas
nunca o deixaremos sofrer
e faremos da sua vida
um enorme prazer.

Silvana Duboc