Vai

Vai, mas não pense em voltar.
Vi o tempo passar
e, com ele, cheguei a conclusão
que dentro do meu coração
não restou um mínimo espaço
para o tal do perdão.
Vai e seja feliz
daquele jeito que eu sempre quis
que pudéssemos ser
e nenhuma questão vi você fazer.
Vai que já não faz mais diferença
porque me curei da doença
de tolerar não ser amada
de suportar viver enterrada
estando viva, porém, sufocada.
Vai viver a sua vida
porque das minhas feridas
eu mesma vou cuidar
sem da sua ajuda precisar.
Vai porque eu só vou esperar
o dia que você há de se arrepender.
Nesse dia, de certo,
eu já terei me levantado
talvez outro amor encontrado
e esquecido o nosso passado.
Vai embora porque chegou a hora
de você encontrar a sua liberdade
e eu, finalmente, a minha felicidade.


Silvana Duboc