Velha... eu?

Por que guardo no corpo e nas fotos amareladas um passado bem vivido? Por que corri atrás dos sonhos e os fiz realidade? Por que sempre soube perder para aprender a ganhar? Por que saí de onde não me queriam e fui buscar meu próprio lugar?
Por que "lutei" contra a inveja, a cara feia de "jovens" pré-fracassados? Por que usei de experiência diplomática, do charme da maturidade, da cara limpa
e da falta de medo de qualquer verdade?
Por que não escondo as ruguinhas que o tempo
me presenteou de tanto que eu soube sorrir?
Por que nunca me esquivei das propostas que a vida me ofereceu? Por que nunca tive medo de fracassar
e ser obrigada a recomeçar?
Por que tenho nome, endereço e telefone sem receios? Por que tenho um rosto, meu próprio gosto? Por que o coração ainda sabe bater forte por uma boa emoção? Por que o corpo maduro ainda sente tesão?
Por que sei sorrir, sem me preocupar com o que estar por vir? Por que sei cuidar dos amores e amigos, deixando a vida alheia seguir seu rumo? Por que sozinha sempre me coloco de novo no prumo?
Ainda sei também abraçar o velho ursinho, ainda sei também fazer beicinho e muito charminho!
Fruta verde azeda a boca...
a madura é doce e de ótimo gosto!
Velha eu?
Por que tudo eu vi, fiz e consegui?
Concluo, então, que ser jovem é não saber viver!
Velha... eu?